Um restauro inesperado

Na semana passada, o Corvo rumou a Sul em busca de praias mais quentes.

Quando passava férias, surgiu mais uma reparação a fazer. Desta vez foi uma IBA, já com cerca de 30 anos.  Componentes FAPRIL, travões LUSITO. Esta era completamente (pronto, em grande parte, digamos) portuguesa!

restauro IBA geral

Olhando à primeira vista para a bicicleta, pensei logo: esta vai ser fácil. Nem o espigão de selim, nem o avanço estavam calcinados no quadro (maravilha!). Não havia ferrugem em demasia. As peças estavam todas na bicicleta! Em principio, seria só trocar cabos, bichas, câmaras de ar e pneus. Em princípio.

...um bocadinho de ferrugem fica sempre bem...

Claro que não poderia ser assim tão simples. Ambos os cabos de  travão estavam presos às manetes de travão – uma situação inédita para mim. Foi uma daquelas situações em que devia ter ficado calado. “Espero que não chova” – começa a chover. Bem, para retirar o cabo de travão, foi necessário desmontar a manete toda e forçar a peça de alumínio de modo a conseguir tirar o cabo. Serve de lição: nas reparações ou restauros, o que pode parecer simples, pode não ser! Acabei por perder mais tempo a resolver o problema do cabo do que a reparar o resto da bicicleta.

Ultrapassado este colorido obstáculo, vinha o próximo. Encontrar quem vendesse cabos e bichas. Curiosamente, era mais fácil encontrar bicicletas de 7000 euros do que cabos de travão. Lá encontramos uma loja de motorizadas e bicicletas, daquelas que estão imutadas pelo tempo. Consegui inclusive comprar a bicha de cor cinzenta! 13 euros depois, saímos da loja com cabos de travão e mudanças, bicha, um par de calços de travão e duas câmaras de ar.

A montagem correu normalmente. As mudanças permaneceram afinadas durante 20 anos ( o  tempo que a bicicleta esteve parcialmente desmontada) . Um ponto a favor das mudanças não indexadas!

Os pneus vieram de outra loja, tendo recomendado uns mais altos e grossos do que os originais 700×23. Agora a IBA rola mais confortável com uns 700×25.

iba pneus

Iba travões

Trinta anos depois, esta IBA volta a rolar. Pode não ser a bicicleta melhor do mundo. Mas é isso que a torna encantadora : algo barato e popular, continua a poder ser reparado. As coisas eram feitas para durar! Basta agora montar os para-lamas e o porta bagagens e está pronta para mais umas décadas de serviço.

Sem Comentários

Publicar um Comentário